Notícias

Os benefícios do bem-estar animal

O bem-estar animal é uma tendência em todos os segmentos da pecuária em razão do aumento no nível de exigência dos consumidores, com direito inclusive a instruções normativas e regulamentação e de um marco regulatório com relação ao tema, envolvendo toda a cadeia produtiva de carne no Brasil.

O próprio produtor já entendeu que não se pode produzir sem considerar o bem-estar animal como um fator fundamental numa produção consciente e responsável que acaba sendo reconhecido pelo consumidor, cada vez mais exigente, com ganhos para toda a cadeia, envolvendo também aspectos relacionados ao manejo animal, situações ambientais e benefícios ao humano envolvido na atividade. No final do processo, como a criação que preconiza o bem-estar animal atende todos os mercados consumidores, inclusive os mais exigentes, acaba-se promovendo maior lucratividade ao setor produtivo.

Vantagens do bem-estar animal

De acordo com o médico-veterinário Cleandro Pazinato Dias, membro do grupo da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) que trabalha o tema, dentre as vantagens da prática do bem-estar animal na pecuária estão a melhora da produtividade e a redução de perdas econômicas, sendo um elemento-chave na sustentabilidade no agronegócio e para a conquista de mercados mais exigentes. 
Segundo Dias, existe uma pressão social muito forte em prol do bem-estar animal e em torno do reconhecimento da senciência, que é a capacidade que o animal tem de sentir dor, prazer e o reconhecimento de si próprio e dos outros, evitando-se sofrimentos desnecessários ao animal.

Bem-estar animal na Fazenda Santa Maria

A Fazenda Santa Maria adota os princípios do bem-estar animal, pois reconhece também que mais do que uma tendência de mercado, essa prática é também uma questão econômica e de viabilização da cadeia produtiva quando se olha para o futuro do mercado de carnes no Brasil e no mundo. Afinal, a produção animal e as demais cadeias produtivas do agronegócio enfrentam uma série de críticas com respeito ao manejo animal e à sustentabilidade.

Justamente por isso, a Fazenda Santa Maria tanto privilegia a conservação do meio ambiente como promove a pecuária de corte dentro dos padrões exigidos pelo bem-estar animal, com destaque para a prática do sistema agrossilvipastoril, pois percebe que encarar o desafio de produzir obedecendo essas novas exigências do público consumidor também é uma oportunidade de maiores ganhos produtivos, observando-se o bem-estar animal e as questões ambientas, de sustentabilidade e de biodiversidade na propriedade.

O bem-estar vai desde a nutrição até o ambiente onde os animais são criados, para que tenham uma vida a mais tranquila possível, evitando-se com isso qualquer tipo de estresse durante o manejo.

Quanto ao sistema agrossilvipastoril, o conforto térmico resultante da existência de áreas arborizadas próximas aos animais, através desse método, reflete positivamente na eficiência reprodutiva do plantel. Já está comprovado em pesquisas que as fêmeas que vivem em áreas sombreadas dos sistemas integrados de produção (com lavoura, pecuária e floresta) apresentam resultados satisfatórios no aspecto embrionário, o que representa ganhos significativos nos índices de reprodução.

Outros estudos também atestam que a criação de animais em sistemas integrados indicou que matrizes de corte que permanecem em áreas sombreadas procuram menos os bebedouros. A frequência em busca de água chega a cair 19% no sistema agrossilvipastoril, segundo dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).